Ações de prevenção à exploração de crianças e adolescentes serão realizadas no São João

A Prefeitura de Caruaru, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, realizará nos Polos Culturais do Pátio de Eventos Luiz Lua Gonzaga, Mestre Camarão e Quadrilhas, Alto do Moura, Azulão, Infantil, São João na Roça e Comidas Gigantes, ações de conscientização sobre a violação de direitos à crianças e adolescentes e identificar, caso estejam em situação de trabalho infantil, negligência, abuso ou exploração sexual.

O trabalho de sensibilização será executado por uma equipe de, aproximadamente, 80 pessoas, que atuarão como educadores sociais na busca para identificação de crianças e adolescentes e seus responsáveis legais, para orientá-los sobre a função protetiva da família e as situações de risco social que podem existir. Os comerciantes também serão orientados sobre as legislações, como as proibições de venda de bebidas alcoólicas a menor de 18 anos, trabalho infantil, abuso e exploração sexual.

No Alto do Moura e no Pátio de Eventos Luiz Gonzaga (Espaço Cultural Tancredo Neves) serão montados os “Espaços de Proteção”, onde crianças e adolescentes identificados em situação de risco ou violação de direitos serão direcionados. No local, eles permanecerão sob os cuidados de profissionais da Assistência Social.

No Alto do Moura o espaço funcionará aos sábados e domingos, das 12h às 18h, e no Pátio de Eventos funcionará nas quintas-feiras sextas-feiras, sábados, domingos, das 19h às 2h, excepcionalmente, nos dias 11, 23, 24, 25 e 26 de junho, funcionará das 18h às 02h.

“No momento da acolhida é preenchido cadastro da criança ou adolescente e do seu responsável, com as informações como nome, endereço, telefone e relato do motivo da acolhida. Nas situações em que as crianças e adolescentes são visualizadas e identificadas sem a companhia do responsável legal, será comunicado ao Conselho Tutelar para que o conselheiro de plantão possa realizar a condução do usuário ao Espaço de Proteção para identificação da família”, afirmou o secretário da SDSDH, Yury Ribeiro.

COMPARTILHAR