Hospital Municipal Manoel Afonso completa um mês de atendimento exclusivo para Covid-19

(Fotos: Jorge Farias)

Neste sábado (23), o Hospital Municipal Manoel Afonso (HMMA), no bairro Maria Auxiliadora, completa 30 dias do início dos atendimentos exclusivos para a Covid-19 na unidade. O hospital foi reformado e passou a ser uma unidade de retaguarda para os pacientes suspeitos e com diagnóstico positivo para o novo coronavírus.

Neste primeiro mês de atendimento exclusivo, já passaram pela unidade 83 pacientes, dos quais 11 precisaram utilizar respiradores e 34 receberam alta. Atualmente, 36 leitos estão ocupados, sendo: 34 na enfermaria e dois intubados na semi-intensiva. O HMMA possui 73 leitos, além de mais cinco na sala vermelha para estabilização.

“O Hospital Manoel Afonso tem grande relevância para Caruaru e havia sido reformado no ano passado, mas, agora, no momento da pandemia, ainda foi preciso ampliar os leitos e qualificar ainda mais a unidade para própria segurança da população e dos nossos profissionais. Ele é uma ferramenta importante para enfrentar esta batalha e nestes 30 dias já mostrou o quanto está sendo fundamental nesta luta contra a Covid-19”, destaca o secretário de Saúde de Caruaru, Francisco Santos, que ainda completa: “Graças ao Hospital Manoel Afonso 83 pessoas não precisaram ser transferidas para hospitais de referências, pois o tratamento foi concluído em nossa própria unidade”.

Dentro deste primeiro mês de atendimento, outro fato relevante diz respeito ao cuidado com os profissionais de saúde que trabalham na unidade. Além de orientação psicológica permanente, todos os trabalhadores da unidade estão equipados com os EPIs necessários para desenvolver um trabalho que possa minimizar os riscos e os impactos da Covid-19.

“Não estamos medindo esforços para proteger os profissionais que estão na linha de frente. Do porteiro, passando pelo pessoal de serviços gerais, motoristas de ambulâncias, até enfermeiros e médicos. Tudo seguindo os protocolos mais rígidos que tratam sobre a segurança dos profissionais”, explica o secretário Executivo da Atenção Especializada, Breno Feitoza.

COMPARTILHAR