30/01/2017

A XVII Edição do Águas de Oxalá aconteceu nesse domingo (29) em Caruaru





Nesse domingo (29), o Monte Bom Jesus foi palco da XVII edição da tradicional cerimônia Águas de Oxalá. O evento se iniciou no terreiro T’Azery Ladè, de Mãe Lourdes, às 15h e seguiu em procissão pela estrada de rodagem com os religiosos carregando o andor com a imagem do Nosso Senhor do Bonfim (simbolizando o orixá Oxalá) até a Igreja de Santa Luzia, no topo do Monte. Em cortejo os membros da religião seguiram com jarras de flores brancas e água de cheiro, para serem usadas na lavagem das escadarias da igreja. Entre as atrações culturais teve a apresentação do Afoxé Xapanaladê. 

O rito é de cunho religioso e cultural de matriz africana (candomblé), mas tem o momento do sincretismo com a Igreja Católica quando reverencia o Senhor do Bonfim. Este ano o evento contou com o apoio do Coletivo Afro Brasileiro Bará Asá, Pastoral da Cultura da Diocese de Caruaru, Coletivo de Terreiros de Caruaru e da Prefeitura de Caruaru, através da Fundação de Cultura e Turismo e das Secretarias de Políticas para as Mulheres, de Desenvolvimento Social, Inclusão e Direitos Humanos e de Educação. 

O Babalorixá Pai Israel, do município de Palmares, explicou do que se trata o rito e elogiou a atitude da prefeita Raquel Lyra em apoiar eventos como este: “É uma cerimônia que une e purifica a mente das pessoas e tem a finalidade de buscar paz, união, prosperidade. São poucos os políticos que tomam a atitude da forma que a prefeita de Caruaru está tomando em apoiar e valorizar a cultura e a religião de matriz africana, por isso eu parabenizo Raquel Lyra pelo apoio que está dando à nossa Mãe Lourdes.” 

Já o presidente da Fundação, Lúcio Omena falou da importância de reconhecer o valor da religião africana para a sociedade como um todo: “Eu acho super importante a Fundação de Cultura e Turismo estar próximo de qualquer manifestação cultural, pois temos uma raiz afro muito importante na sociedade, que muitas vezes é regrada. A gente precisa estar aberto para mostrar que isso faz parte da nossa cultura, que é extremamente importante”.

Foto: Roberto Pereira Jr.