Prefeitura de Caruaru e TEA iniciam apresentações teatrais na Zona Rural

A ação faz parte da programação do Feteag, que, em parceria com a SDSDH estará levando espetáculo para comunidades

(Fotos: Jorge Farias)

A comunidade de Malhada de Pedra, Zona Rural de Caruaru, recebeu, nesta segunda-feira (22) uma intervenção cultural especial para os alunos da Escola Municipal Capitão João Velho e usuários do CRAS local: o Festival de Teatro do Agreste (Feteag), que está em sua 28ª edição. Na oportunidade foi apresentado o espetáculo teatral “Jogos na Hora da Sesta”, do Teatro Experimental de Arte – TEA, que está à frente do evento, e, junto com a Prefeitura de Caruaru, por meio do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV, da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos humanos (SDSDH), possibilitou a apresentação.

A ação será levada para diversas comunidades da Zona Rural de Caruaru com o intuito de discutir os temas abrodados na peça como violência e preconceito, cotidianamente ignorados ou tratados com normalidade e indiferença. O acesso é gratuito e livre para todos os públicos. “O teatro é uma importante ferramenta na arte-educação. Através do teatro, numa linguagem diferenciada, a gente termina incluíndo temas que muitas vezes numa palestra comum o professor tem dificuldade de tratar. Muito do que foi visto aqui hoje, é vivenciado pelos alunos em seus cotidianos”, destacou a secretária da SDSDH, Perpétua Dantas.

A próxima parada da caravana será nesta terça-feira (23) na comunidade de Pau Santo, onde o espetáculo será encenado às 16h, de frente à igreja católica. Na quarta-feira (24) será a vez do Residencial Luiz Bezerra Torres receber a produção no auditório da Escola Dom Bernardino Machió, também às 16h. A apresentação da comunidade do Xicuru será no dia 25, ao lado do CRAS, e a de Itaúna, em frente à igreja católica, no dia 26, ambas às 16h.

 

Sobre o espetáculo

 

Apesar de ter sido escrito na década de 1970, o espetáculo é assombrosamente atual e possui como pano de fundo a situação política de ditadura militar. Nela, um grupo de crianças brincam em uma praça, enquanto seus pais fazem uma sesta, e através das brincadeiras, aparentemente inofensivas, elas refletem o que lhes é transmitido pelos pais no dia a dia.

O espetáculo, em linhas gerais, propõe uma reflexão sobre como o comportamento dos adultos e a TV influenciam decisivamente na conduta moral das crianças em situação de aprendizagem. No mundo atual a escola tem sido sempre um termômetro dessa realidade e é justamente neste ambiente que afloram os reflexos desta relação.

Jogos na Hora da Sesta não é definitivamente um espetáculo sobre crianças, ele nos impele a lançar um olhar crítico sobre temas como abuso sexual, violência contra a mulher, bullying, relações de poder, preconceito, discriminação e principalmente como nós, os adultos temos sido fomentadores dessa experiência.

Este espetáculo além de promover a ampliação cultural e aperfeiçoamento pessoal, estimula a troca de experiências, a busca de soluções para situações-problema, a ampliação da tolerância no relacionamento e o espírito colaborativo, fundamentais as relações sociais.

Ficha Técnica

O texto é de Roma Mahieu e o espetáculo conta com a produção executiva de Arary Marrocos e direção de Pedro Henrique Rosbergg Alexsander. O elenco é formado por Abner Lima, Alanis Pereira, Clécio Vila Nova, Gael Vila Nova, Jackson Freire, Helen Christine, Maurício Silva e Victória Melo. Na equipe também estão Édson Barros, na execução de luz, Amanda Freire (maquiagem) e Paulo César (cabelos).

Cronograma de Apresentações:

 

  1. 22/10/18 Malhada de Pedra, às 15h, no Pátio da Escola Capitão João Velho;
  2. 23/10/18 Pau Santo, às 16h, de frente à igreja católica;
  3. 24/10/18 Residencial Luiz Bezerra Torres, às 16h, Auditório da Escola Dom Bernardino Machió;
  4. 25/10/18 Xícuru, às 16h, ao lado do CRAS;

           5.    26/20/18 Itaúna, às 16h, de frente à Igreja católica.

COMPARTILHAR