Prefeitura de Caruaru promove II Fórum de Prevenção ao Suicídio

Evento faz parte de uma série de ações promovidas por secretarias integradas com o intuito de promover o diálogo como combate ao suicídio

(Fotos: Arnaldo Felix/ Divulgação) 

Em continuidade às ações do Setembro Amarelo, nesta sexta-feira (21), a Prefeitura de Caruaru, através de um trabalho integrado e intersetorial entre as Secretarias de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SDSDH), Saúde, Educação e de Política para Mulheres (SPM), estará promovendo o II Fórum de Combate e Prevenção ao Suicídio. O evento será no auditório da Unifavip Wyden, das 8h às 12h, e tem como público-alvo psicólogos, pedagogos, assistentes sociais e acadêmicos.

O tema suicídio será abordado sob os pontos de vista dos palestrantes convidados. Estarão contribuindo para o debate a professora e psicóloga da Unifavip Wyden, Maria Dogivânia, e a médica e psiquiatra especialista em saúde pública, Guanaira Rodrigues do Amaral, que atua na Secretaria de Saúde de Caruaru. Para finalizar o evento, os educadores físicos e proprietários do Centro de Treinamento Action Mais, Maurício Magalhães e Bruno Souza irão abordar a importância da atividade física no tratamento da depressão. 

A programação do Setembro Amarelo em Caruaru iniciou no último dia cinco com rodas de diálogos nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), envolvendo as comunidades para debater sobre prevenção ao suicídio com os usuários de programas sociais como “Leite para Todos” e “CadÚnico”. Já teve panfletagem no centro e na noite desta terça-feira (18) foi promovido uma roda de diálogo no auditório da SPM com o intuito de refletir sobre os altos índices de suicídio que atingem a população LGBT.

 

A importância de se promover o diálogo

De acordo com dados do Centro de Valorização da Vida (CVV), dos 32 suicídios que ocorrem diariamente no Brasil, a média de uma morte a cada 45 minutos é algo que pode ser reduzido. O assunto que já foi um tabu muito maior, ainda enfrenta grandes dificuldades na identificação de sinais, oferta e busca por ajuda, justamente pelos preconceitos e falta de informação, por isso a importância de se promover ações que busquem trazer o diálogo sobre o suicídio para a sociedade.

 

COMPARTILHAR