Secretaria de Saúde de Caruaru esclarece situação do programa Mais Médicos no município

Objetivo da reunião foi tranquilizar a população sobre os atendimentos na cidade

(Fotos: Arnaldo Felix)

A secretária de Saúde de Caruaru, Ana Maria Albuquerque, reuniu, nesta terça-feira (20), jornalistas e formadores de opinião para esclarecer como ficará a situação do município com a saída dos médicos cubanos vinculados ao programa Mais Médicos, que compõem as equipes de Estratégias de Saúde da Família na Capital do Agreste.

O programa foi criado pelo Ministério da Saúde, em 2013, com o objetivo de suprir a carência de médicos da Atenção Básica nos municípios do interior e nas periferias das grandes cidades do Brasil. Atualmente, em Caruaru, existem 73 equipes de Saúde da Família, onde 39 são ocupadas pelos profissionais do programa Mais Médicos, o que equivale a 53,4%. Desses, 15 são cubanos, 20 brasileiros e há quatro vagas em aberto.

Cerca de 55.751 pessoas estão na área coberta pelo atendimento destes médicos que devem deixar seus postos de trabalho. Hoje, os médicos cubanos atendem as Unidades de Saúde da Família: Keneddy II, Lagoa de Pedra, Caic, Canaã, Cachoeira Seca, Gonçalves Ferreira, Cipó, Pau Santo, Riacho Doce, Vassoural I, II e III, Xicuru, José Liberato II e Malhada de Barreira Queimada.

“É importante deixar claro para a população que ela não será prejudicada com estas saídas, aqui em Caruaru. O edital para o preenchimento dessas vagas já foi lançado e não haverá descontinuidade da assistência. Além disso, os médicos da seleção simplificada municipal que está em vigor também serão chamados para auxiliar neste processo”, esclareceu a secretária de Saúde.

O edital lançado pelo Ministério da Saúde para o programa Mais Médicos abre oportunidade para médicos formados no Brasil ou no exterior, com o diploma revalidado.

 

COMPARTILHAR